Paradoxos

Leiam escutando essa música:

 

“Marta se você não confia nele, muito menos o ama, por qual motivo ainda idealiza algo?” Fabrício, não sei te responder, mas a sinceridade dele foi a convivência sem máscaras. “Sim, o conheceu assim…” Cortou. A traição vem de quem menos esperamos, vulgo Bernardo, o paladino da moralidade e me traiu por um ano. “Meu bem, se tratando acerca de seres humanos não há garantias.” Ele disse: “Você sabe quando alguém está mentindo! Confie.” “E mesmo assim, você tinha e tem pulgas atrás das orelhas.” Fabrício nós não nos veremos mais, não há espaço na vida de ambos para nenhum dos dois, eu também tenho minhas prioridades… Foi cortada. “Então, por que cargas d’água insiste em refletir sobre isso?” Talvez, porque faça parte da minha personalidade, talvez você como meu amigo não se surpreenda com isso. “Talvez, você goste de histórias, talvez você goste de analisar, talvez você goste de tornar complexo o que é simples. Tomou um chifre, bebe um vinho, manda mensagem para quem tanto espera por um sinal e pronto.” Confiar, Fabrício, é tão traiçoeiro!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s